domingo, janeiro 30, 2011

JN Cidades



Tive acesso ao mais recente suplemento do Jornal de Noticias, o «JN Cidades» e gostei. De Aveiro, assuntos como, por exemplo, o debate sobre o futuro da Avenida Lourenço Peixinho e uma reportagem sobre o Clandestino, provavelmente o único bar de musica alternativa da cidade. E gostei de ver bons textos assinados por jornalistas de Aveiro, como Alexandre Silva, Zulay Costa, Jesus Zing, e outros, numa prova inequívoca que temos gente mais do que suficiente para Aveiro ter o que não tem: um jornal semanário como uma capital de Distrito merecia.

Rua Batalhão Caçadores 10


Arranjem-na, por favor! É preciso acabar com a vergonha!

quinta-feira, janeiro 27, 2011

domingo, janeiro 23, 2011

Cervejas

Erdingen. Guiness. Tuborg. Amstell. Estrella Damm. Super Bock. Vota em qual?

Estrondo Bar



Recordo hoje o «estrondo», um bar do Canal de São Roque que fechou mas que causou forte impacto logo após a sua inauguração.

O «Estrondo» apostou numa fachada rústica e num ambiente moderno, caracteristicas que lhe permitiram angariar muitos clientes e praticamente fazer acabar com o «Urgência».

Lembro-me que os dois pisos permitiam usufruir de dois espaços que, sem serem muito amplos, eram perfeitamente distintos. Foi, até entrar em decadência, um projecto de futuro, mas como a «noite» em Aveiro, de lá para cá, não evoluiu, acabou por encerrar definitivamente e nunca mais abrir.

Não desistas de mim

Quer queiram quer não, o homem faz musicas fantásticas.

sábado, janeiro 22, 2011

São Bernardo sem motivos para festejar



A freguesia de São Bernardo assinalou 42 anos, mas, na verdade não tem grandes motivos para festejar. A sua principal estrada é terceiro mundista; a sua aldeia desportiva nunca mais evolui (é formada por um pavilhão, um ringue de cimento e um espaço de terra a que chamam «campo de futebol); o antigo Centro de Saúde Mental continua ao abandono e sem nenhum projecto viabilizado, não tem uma piscina que possa servir as crianças e a população em geral; e até o Centro Desportivo de São Bernardo atravessa uma crise de resultados como há muito não se via. No fundo, São Bernardo é o retrato fiel do marasmo do Concelho de Aveiro actual.

Vergonha

Saio do trabalho e vou beber um copo com um colega estrangeiro que acaba de chegar a Portugal. Destino: Autocarro Bar.
Juro que senti vergonha em ser de Aveiro, quando reparo na reacção desse colega ao verificar o estado lastimoso em que as estradas circundantes ao Largo da Universidade apresentam. Uma vergonha. Não só as estradas, como também os passeios que...não existem.
Ando há muito 'calado' aqui no Aveiro Sempre, mas esta Câmara continua a mesma merda de sempre. Não há pachorra.





terça-feira, janeiro 18, 2011

Mortes, roubos, assaltos...



Porque é que o Diário de Aveiro se transformou numa espécie de «O Crime» do Distrito de Aveiro? Não há um dia que a «primeira» não tenha que ter um assalto, uma morte, uma noticia de violência no Distrito...

A mim, não me agrada, embora perceba que possa ter a ver com questões de estratégia, não sei...

Para adopção!

domingo, janeiro 09, 2011

Ameias


Um crime aquilo que fizeram a uma das duas Toores das Ameias! Para além de já ter sido violentamente denegrida com grafitis criminosos (como um pouco por toda a cidade, mas muito especialmente ali na zona de Esgueira, basta ver o que fizeram à Fonte do Olho d' Água), a torre foi agora «decorada» com reclames luminosos alusivos à casa comercial que ali passou a existir! Simplesmente, inacreditável.

sábado, janeiro 08, 2011

O regresso ao Club 8



Regressei ontem a um espaço onde já fui muito feliz, outrora Oito Graus, agora denominado Club 8. E em boa hora aceitei o convite de um amigo meu porque o Club 8 está outra vez «on fire». Muito boa a noite de ontem! E era uma sexta-feira, ou seja, sabendo como hoje a noite aveirense é muito menos intensa à sexta do que ao sábado (não tenhamos duvidas que é a crise e que ainda há pouco tempo os jovens, e as pessoas em geral tinham dinheiro para sair nas duas noites do fim-de-semana, enquanto que agora optam maioritariamente pelo sábado), tudo leva a crer que a noite de hoje seja ainda mais espectacular.

Em primeiro lugar, tenho que agradecer a forma super simpática como fomos recebidos. O meu agradecimento por isso mesmo.

O espaço está simples mas muito moderno, a musica de dança, alterando bons períodos com períodos menos bons, é de uma forma geral bastante dançável e os clientes não deixam ficar mal a «casa». Desejo apenas que o Club 8 não «descambe», que não se deixe ir por «caminhos» que afugentam as pessoas e que mantenha a qualidade que ontem pude presenciar. Vou regressar em breve.

sexta-feira, janeiro 07, 2011

Há quem se revolte com a Festa de S. Gonçalinho actual!


A propósito da Festa de São Gonçalinho,que teve o seu início hoje, recebi um mail de revolta, enviado por alguém devidamente identificado, que julgo não conhecer, dando conta da sua tristeza e da sua revolta pelo estado actual da própria festa!

E o mail «reza» assim:

"Sou residente e natural de Aveiro, mesmo na zona de S. Gonçalinho,
o meu Santo Padroeiro e não aceito que outras pessoas que nem se quer são de Aveiro e outras que são de outras zonas, como por exemplo, da Glória, das Barrocas, da Nossa Sra. das Febres, não contando com os oriundos que não sei de onde vêem, sejam Mordomos do Santo que não lhes diz respeito."


Esta é, de facto, um assunto relativo à festa que me preocupa um pouco. A festa não pode ser «fechada» para si mesma, para as pessoas do Bairro, mas também acho que a Festa tem que manter a tradição e para manter a tradição nada melhor do que ter na sua organização as pessoas que «sentem» o Santo e que sejam mesmo dali. Mas adiante...

"Esta Festa, com muitas raízes e tradições das gentes da Beira-Mar, deixou de ser o que era. Lembramos os nomes que realiazaram no passado esta Festa com muita dignidade: A Prazerinhas, Maria Helene, sua Filha Alda Maria, Rita Faneca, Antonio Lemos, entres outros que de momento não me lembro - só sei dizer que tudo era bem organizado sem espaventos; a Capela era cheia de Flores Lindissimas e cheia de Jarras e castiçais de Prata - os Mordomos dormiam na Capela para segurança, atiravam-se cavacas no último dia da festa (terça-feira) dentro da Capela, haviam cantares e a dança dos Mancos como mandava a tradição, não é como agora que mais parecem ser deficientes a babarem-se todos, é uma vergonha.
Não se faziam Ralis para os vaidosos mas sim, em Dezembro, um cortejo de Pastoras, com os suas oferendas para depois serem leiloadas no Largo da Capela para angariação de fundos para a festa. Agora andam de porta em porta a pedirem."


Vaidade! Há aqui alguma verdade nisto...mas mais do que neste ponto que o mail refere, é a não realização de coisas que sempre fizeram parte da tradição! A tradição não pode ser desvirtuada e a tradição do São Gonçalinho não são apenas as cavacas! Este exemplo do Cortejo das Pastoras é um bom exemplo do que se perdeu. Mas o mail não fica por aqui...

"Esta Festa deixou de ser do povo da Beira-Mar, para ser a Festa da ELITE E DA CAGANÇA DE PESSOAS QUE QUEREM SER VISTAS. A DEVOÇÃO NÃO É NENHUMA, ESTA É A PURA VAIDADE."

Não podemos meter todos dentro do mesmo «saco», mas de facto, já vi gente como mordomo nestes ultimos anos que se estão marimbando para o São Gonçalinho. Tenho a certeza do que digo. Politicos, meus amigos! Politicos! E outros...

E termina assim:

"Também me questiono quem são os Confrades de S. Gonçalinho? Contam-se pelos dedos quantos são da Beira-Mar genuínos - são muito poucos ou nenhuns. É PENA, O SÃO GONÇALINHO NÃO GOSTA DISTO."

Um desabafo, talvez algo exagerado nas criticas, com pontos relevantes e que merecem a reflexão. Não basta as ruas terem mais iluminações, não basta a promoção da festa ser maior, para que o São Gonçalinho seja melhor. A melhor é aquela que defende o genuino, a tradição e que não esquece as pessoas que são dali.

sábado, janeiro 01, 2011

A primeira compra do ano

Primeira compra de 2011: uma garrafa de gás. No ano passado custava-me vinte euros; hoje já me custou quase vinte e três! Festejar 2011???

Aveiro Sempre faz quatro anos!

«Aveiro faz parte integrante de mim mesmo. Nasci em Aveiro e não consigo passar sem Aveiro. A ria. o Bairro da Beira-Mar. O S. Gonçalinho. Os Arcos. As Pontes. A Lourenço Peixinho. Os bairros. Os clubes. As colectividades. A cultura. As tradições. A gastronomia.

Sou um apaixonado pela minha cidade, logo, não posso ficar indiferente a tudo a que a ela diga respeito. Este blog foi criado para que eu, um cidadão normal, possa opinar sobre o dia a dia de Aveiro e do seu concelho.

Aqui serão expressas opiniões, criticas e ideias. Independentes e criteriosas. Um blog de um aveirense convicto para todos os aveirenses que nele queriram participar.»

Este foi o primeiro post do Aveiro Sempre, fez ontem, 31 de Dezembro, precisamente quatro anos. Lendo aquilo a que me propus, julgo que os objectivos e as razões pelas quais criei este blogue, se mantêm intactas!

Aproveito o quarto aniversário do Aveiro Sempre para desejar um Bom Ano de 2011 a todos aqueles que têm pachorra para ler este blogue.

Um abraço



Pedro Neves