segunda-feira, março 17, 2014

Luto


Faleceu Zé Penicheiro. Aveiro ficou mais pobre. 

7 comentários:

RdC disse...

Um dos verdadeiros valores da cultura portuguesa que o país oficial não honrou nem mereceu. Há uns anos enviei um email para a revista Visão chamando a atenção para o interesse cultural de dar a conhecer ao país a obra notável deste pintor. Nem me responderam...
Resta saber qual vai ser agora a atitude da cidade para com alguém que tanto a engrandeceu...

A.Ferreira Ferreira disse...

Ouso afirmar que a pintura de Zé Penicheiro tinha uma certa geometricidade que nunca escondeu a expressividade das suas figuras ou dos temas que levava à tela. Um grande pintor de Aveiro e das suas figuras típicas e emblemáticas.O Poder aveirense ignorou-o.Partiu discreto. Glória ao pintor. A ausência de muitos comentários é significativa.

Anónimo disse...

Grande pintor! Um homem que soube eternizar a realidade aveirense como poucos.
Que descanse em paz

Anónimo disse...

O Pintor Zé Penicheiro estava mais ligado à Figueira da Foz, onde vivia, do que a Aveiro.
É certo que pintou motivos de Aveiro.
Não exageremos. Foi um pintor razoável, efectivamente, mas daí até "ir para o Panteão" vai uma grande distância.
Se se perguntar ao cidadão comum quem era Zé Penicheiro, certamente dirá que não sabe de quem se trata.
Com raízes em Aveiro e com obra notável, tivemos o Zé Augusto. O "poder local" também o esqueceu.

A.Ferreira Ferreira disse...

O"anónimo" das 05:47 da tarde, escreveu - O "poder local" também ignorou o grande artista, barrista aveirense Zé Augusto.Tem toda a razão! Nasceu na "Beira-Mar e a sua obra tem por tema Aveiro e as suas gentes. Conheci-o pessoalmente e dou aqui testemunho da sua afabilidade e humildade que são apanágio dos que têm valor. Todavia, Zé Penicheiro teve também atelier em Aveiro e cá viveu algum tempo. Foi um bom pintor - falar em "panteão" é caricaturar gratuitamente. Apenas saliento o merecimento de alguma distinção expressa publicamente.

RdC disse...

Caro anónimo, se o Zé Penicheiro vivia na Figueira da Foz (onde é certo que tinha família),isso terá sido apenas depois de ter ficado doente e de ter deixado de pintar, porque ainda o visitei numa ida a Aveiro talvez há uns quatro anos...
Quanto ao desconhecimento do cidadão comum, isso não menospreza a obra e o estilo notáveis do pintor, apenas realça a triste e lamentável ignorância sobre os seus valores que campeia no tal cidadão comum...
E um grande José não ofusca o outro. Pelo menos em minha casa convivem os dois no meu espaço mais nobre...

João Francisco disse...

“Silencio morreu o artista” Alguém perpetuou esta frase. O artista é nacional, quedarmo-nos em bairrismos bacocos é no minino deprimente. A sua obra fala por si.