sábado, junho 07, 2014

VivaCidade

Participei na última reunião do VivaCidade, um projecto muito interessante da SetePés, em conjunto com a Câmara Municipal de Aveiro e que visa «vestir» os espaços vazios da cidade. O primeiro espaço a ser alvo de uma intervenção, resultante das ideias da população do local, fica na Rua Infante D. Henrique com a Rua S. Sebastião. 
Segunda-feira, lá estarei, para nova reunião.

12 comentários:

Anónimo disse...

Espero que revistam, e bem, algumas fachadas completamente degradadas de edifícios abandonados há anos, a começar pela Av. Dr. Lourenço Peixinho!

Anónimo disse...

Se alguns suportes de painéis publicitários abandonados pudessem ser revestidos não era mau...

Anónimo disse...

Também os blocos de betão que seguram precariamente as estruturas metálicas da informação cultural da cidade na Avenida junto ao Parque e à Sé (pelo menos) mereciam alguma "capa".

Anónimo disse...

Só os espaços vazios?
É que se fosse possível "vestir" alguns edifícios que, apesar de serem emblemáticos, estão num caus, quer para Aveirense ver, quer para Turista apreciar... a começar pelos edifícios da antiga estação da CP (o jardim suspenso) e da antiga lota (aquele verdadeiro despojo de guerra), ...
Pelo menos não passávamos vergonha no período turístico...

Pedro Neves disse...

Isto nao é um projecto da CMA, a CMA apenas tem no projecto uma arquitecta. Isto é um projecto que visa realbilitar espaços vazios e nao tem, nem pode, como objectivo substituir o trabalho de uma autarquia. É um projecto em que as decisoes resultam das pessoas dos bairros que estao a ser intervencionados. É um projecto de cidadania.

A.Ferreira Ferreira disse...

Mas para quê reuniões?! Chamem a Joana Vasconcelos e verão! A dama põe-vos as mazelas num brinquinho! É "rendinha" a metro! Ó gente, basta que a Câmara obrigue os donos a reparar e a restaurar sob pena de coima a sério e pronto! Conversa da treta...nisso somos peritos!

Anónimo disse...

A feira do livro no mercado Manuel Firmino, quase incógnita, não publicitada devidamente como é apanágio da autarquia desde há uns anos, tem sanitários à disposição mas sem papel higiénico, sem líquido para lavar as mãos, sem papel para as limpar ou secador a funcionar.
Se a visitarem previnam-se, levem o necessário ou recorram ao Forum se não estiverem muito "apertadinhos"!...
Aqueles pormenores não interessam, são esquecidos com a maior das facilidades!...

Anónimo disse...

"câmara de aveiro suspende farav para repensar conceito". Lamentável, pois é das poucas iniciativas que faz a diferença em Aveiro. Repensar conceitos faz-se no "defeso" e não em cima das datas dos acontecimentos. Tiro no pé. Acho que nem o Diogo Machado se lembraria de fazer melhor.

Anónimo disse...

Para reforçar a ideia do comentário do Anónimo das 8:01:
Não façam uso das casas de banho do Fórum (pelo menos as senhoras).
As casas de banho do Fórum Aveiro estão sempre muito sujas, quase um caso de saúde pública. O seu uso é impossível. Problema do civismo da maioria das cidadãs que as utilizam e da Administração do centro comercial que não efectua a sua higienização com a frequência necessária.
Para comentar todo o trabalho "Vivacidade":
Os meus parabéns por todo o esforço e dedicação
@n@

Anónimo disse...

O Forum é um exemplo de boa gestão ambiental e energética obedecendo a standards perfeitamente bem concebidos e penso, até, certificados.

Os serviços sanitários não fogem à regra. Infelizmente e tratando-se de uma empresa privada que presta um serviço de elevada qualidade aos seus clientes, presta também um serviço de sanitários públicos a toda uma cidade que não os possui com a dignidade que merece. Daí a juntar à falta de civismo,parece-me lícito concluir que haja uma sobre utilização dos mesmos, tendo em conta toda miríade de turistas e cidadãos residentes que frequentam a zona, com resultados feios.

Aquilo que existe debaixo das escadas em frente à Peixinho deveria envergonhar todos os cidadãos, já para não falar dos dirigentes. Mas pronto a culpa é do Forum...

Gary Linneker disse...

Este blog parece querer fugir a critica dos problemas da cidade. Perdeu acutilancia e agressividade desde que temos um novo presidente da CMA.

Quanto ao projeto parece-me uma boa iniciativa da sociedade civil. Na foto vejo a encarnacao da esquerda de caviar, de fato e gravata..

No meu tempo o proletariado usava fato-macaco!!!

Anónimo disse...

Pedido de desculpas ao Sr. Pedro Neves pelo comentário/alerta que vou deixar e que quase nada tem a ver com o seu "post", mas cá fica:

O Filósofo, após mais uma grandiosa e espectacular obra literária que produziu, desta feita no retiro espiritual de San Bernardo (Terra Santa), onde, na "paz do Senhor",se iluminou para retratar com a sua grandiosa visão, um assunto mais que pertinente - a história de uma escola qualquer - prepara-se para vir por ai abaixo outra vez.

Diz-se que vem desempenhar as funções de vereador de qualquer coisa, talvez do pelouro da Kultura.

Mais uma mente brilhante, independente, a juntar ao colégio de sábios que vai governar o burgo nos próximos 4 anos.

A ponte do parque que será atravessada por milhares de cidadãos invisíveis deverá receber o nome do ex-Edil e filósofo, tal como sugeriu alguém.

As duas monografias filosóficas que produziu de elevado valor para a humanidade, devem ser alvo de requerimento do Estado para passarem a ser depositadas na Torre do Tombo e no Museu do Vaticano para as gerações vindouras. Quem sabe, colocadas a bordo da próxima missão da NASA perante a eventualidade de contacto com outras inteligências extra-terrestres.