sexta-feira, abril 25, 2014

Lembram-se?

Como é que num país, dito civilizado, foi possível meter abaixo um edifício como este?

5 comentários:

Anónimo disse...

Na época deste prédio, posto abaixo por falta de sensibilidade de alguns que governaram esta cidade, esta zona era a nossa sala de visitas!
Situado frente ao Jardim e Parque Infante D. Pedro, é triste ver como tudo está diferente, para bem pior!
Os nossos vizinhos espanhois preservam todos os edifícios, quer históricos quer não porque têm um grande orgulho natural em tudo o que é seu e manifestam-no e exibem-no a toda a hora!
A noção e sentido de Pátria já não existe, e os maus exemplos vêm de cima!....

A.Ferreira Ferreira disse...

Lembro! Se me lembro! Um edifício duma arquitectura e de coração exterior muito bonitas (agora está lá uma coisa incaracterística mas modernaça)onde a GNR esteve instalada. Creio dever-se ao dr.Girão Pereira e ao seu conceito de "modernidade" a demolição deste edifício, bem como o do "Albino Miranda" que situava mais à frente, no gaveto junto à antiga sapataria Leitão , para rasgar o "futuro" como se dizia na época! Os lindos azuleijos da dita sapataria estão em processo de degradação, assim como os painéis junto ao pequeno aquário/repuxo que existe sob a pérgula no jardim Parque Infante D.Pedro. Mas o aveirense gosta e, pelos vistos, faz vista grossa em nome da partidarite. Vai delirar com o pontão em instalação junto ao Hospital - vão ser "resmas" de basbaques a elogiar o mamarracho! Somos assim, paciência.

Anónimo disse...

Muito bem lembrado pelo A. Ferreira Ferreira o edifício do "Albino Miranda" no gaveto junto à Sapataria Leitão !
Que saudades dá para quem nasceu e foi criado na Glória!...
Mas nada é igual, mudam-se os tempos, mudam-se as vontades e como diz, a partidarite é que conta e em nome desta cometem-se as maiores basbaridades!...

Anónimo disse...

O prédio referido foi abaixo por ausência do (guarda) sinaleiro, caso contrário Girão Pereira era punido.

Anónimo disse...

A demolição deste prédio foi um crime miserável que devia envergonhar irremediavelmente quem decidiu tal barbaridade!...